Professores

André Felipe Santos teve o primeiro contato na dança de salão com o professor Rodolfo Lorand em 2010. Aperfeiçoou sua dança com os professores Leandro Murillo, João Biasotto e Marlon Marian.
Apaixonado por samba de gafieira, fez congressos para melhorar nesse ritmo como Samba Maníacos e Oficina do Samba, já para melhorar sua dança no geral fez grande congressos aqui em Santa Catarina, Salão arena, Baila Floripa e Miscelânea.
Começou a dar aula em 2013 e trabalha até hoje nessa área.

André Santos

Ingressou seus estudos de dança em 1996 nas tradições gaúchas e CTGS de invernadas artísticas em Santa Catarina. Aos 16, entrou para o centro de dança Marisandro Goulart, tendo suas bases de dança de salão, em 2005 passou para o centro de dança Fabiano Narciso e continuou seus aprendizados e estudos da dança de salão e outros gêneros de dança, contemporâneo, jazz, hip hop para complementar a consciência corporal e aprimorar o desempenho nos ritmos da dança de salão. 

Gutto Heinzen

Kamila Hoffmann

Iniciou na dança de salão como bolsista em 2008 e em 2009 foi convidada a fazer parte de um Grupo Experimental dirigido por Lidiani Emmerrichi e Gabriel Ferreira, teve uma das coreografias (Assanhado) premiada no festival do Prêmio Desterro em 2010, esse mesmo grupo desenvolveu um curta espetáculo chamado Horas que foi apresentado no Baila Costão em 2011. Participou de competições de dança, em 2010 e 2011 no concurso Ritmos a Dois em Joinville, e foi campeã do ritmo forró e tango, respectivamente com os parceiros Rodrigo Schifini e Sandro Soncini. Também competiu no Duo do Baila Floripa em 2011 e 2012, ganhando 4º e 3º lugar, respectivamente com parceria de Rodolfo Lorandi e Sandro Soncini também. E em 2011 no Baila Floripa foi selecionada para integrar o Grupo da Maratona Coreográfica, juntamente a Rodrigo Schifini, o trabalho consistiu na criação de uma coreografia montada em 12 horas com a direção de Jomar Mesquita (Diretor da Mimulus Companhia de Dança), tendo como fim a apresentação na Mostra Oficial. Ainda em 2011, participou de uma formação de professores para dança de salão e iniciou seus trabalhos como professora em turmas e com aulas particulares também. Além de ter participado de muitos workshops e cursos para aperfeiçoamento das técnicas da dança, aprimorou seus estudos com a biomecânica, desenvolvendo suas técnicas dentro da dança contemporânea, com o contato e improvisação, técnicas de porte, alinhamento e fortalecimento corporal, estudando com professores como Adilson Machado, Aline Blausius, Diana Gilardenghi e oficinas com o Grupo Cena 11. Viajou para Buenos Aires afim de aprofundar seus conhecimentos no tango, estudou sobre técnicas desenvolvidas pelo yoga em uma escola de dança com linha de estudo do Neo Tango, com professores como Pablo Villarraza e Dana Frígoli. Contudo, também fez aulas de tango clássico para aperfeiçoar a técnica, com os professores Sebastian Arce e Mariana Montes; e Guilhermina. Em 2012, voltando ao Brasil, o Grupo experimental que participava passou a ser a Grão Companhia de Dança, ainda dirigido por Lidiani e Gabriel, porém agora com criação coletiva. Kamila fez parte de todo o processo de pesquisa do tema do espetáculo Moebios. No entanto, em 2013 desenvolveu junto com Ricardo Tetzner a coreografia Correlação de Mundos Internos para apresentar na Mostra de Dança do Baila Floripa. Desde 2014 voltou as atividades como professora, desenvolveu coreografias com a parceria de Magno Dutra, uma delas foi apresentada na Mostra de Dança do Baila Floripa desse mesmo ano.  Além disso, montou uma companhia chamada Lehoff Cia de Dança, que esteve em atividades durante 3 anos participando de eventos como o Baila Arena, Projeto TAC 19:30, etc. Em seu último ano de atuação desenvolveu um espetáculo chamado Um Tanto Delas, trabalho que falava sobre diversos tipos de abuso que a sociedade comete com mulheres, que foi apresentado no CIC.

Juliana Leonardi

Apaixonada pela arte do ballet clássico, iniciou seus estudos aos 5 anos de idade. Como bailarina já participou de diversos festivais de dança. Atualmente está se aperfeiçoando no método Royal, mas já teve diferentes professores do método Vaganova (Russo).

Professora de Danças Urbanas/K-pop na escola Ateliê da Dança - São José, SC desde junho de 2017; ● Jurada do 7° AG Asian Dance Challenge em 2017; ● Participação no grupo de dança Dream Chaser, antigo Dreamcatcher, com uma apresentação especial de encerramento do concurso We <3 Kpop, no evento Wasabi em outubro 2017; ● Membro e coach do grupo de dança Bad Royals desde setembro de 2017; ● Criadora, organizadora, professora e coreógrafa do Projeto Sintonia no Colégio Alpha Objetivo em 2015,  ● Diversos trabalhos coreográficos para gincana escolar (Colégio Gardner, Colégio Alpha Objetivo, Colégio Tendência e Colégio Energia); ● Participação nas gravações de um vídeo em 2012, para o encerramento da série All We Need is Paul do Diário Catarinense.

PRÊMIOS ● 5° AG Asian Dance Challenge - 2° lugar na categoria grupo (2016); ● 6° AG Asian Dance Challenge - 1° lugar na categoria solo (2017); ● 8° AG Asian Dance Challenge - 1° lugar na categoria solo (2018); ● We <3 Kpop Capipop Edition - 3° lugar na categoria solo (2018).

Layse Destri

Leonardo Reis

Iniciou sua experiência nas danças urbanas há 10 anos. Tem experiência em danças urbanas, dança contemporânea e dança de salão. Bailarino profissional e coreógrafo no "Seed'ance Company (danças urbanas)", bailarino na companhia "Dois Pontos Cia de Dança Teatro (dança de salão)", onde participou do feito inédito de Florianópolis de apresentar um espetáculo de dança dentro da catedral metropolitana da capital. Também fez parte de uma turnê internacional em Roma (Itália), onde também ministrou workshops. Além disso, é bailarino na "Kaiowas Grupo de Dança (dança contemporânea)". Já participou como bailarino em clipes de músicas como: cantor Airon Alisson-SC e dos Rock Bones do programa da Disney; e como coreógrafo/bailarino no clipe do cantor Billy Rezk . Já participou dos espetáculos "dançando uma história", "trilha", "viagem no tempo",  “AMAR” e "1717" , através do edital Elisabete Anderle. Participou de vários cursos de dança e foi selecionado para dançar com Brandon Harrell, bailarino e coreógrafo do grupo Iamme de Los Angeles – EUA, para a abertura da primeira edição do Festival de Culturas Urbanas de São José em Santa Catarina em 2014.

Teve seu primeiro contato com a dança oriental árabe em 2005. Participou de festivais como Prêmio Desterro, Santa Catarina Dança, Hathor Festival, Oriental Floripa, Encontro Curitiba, entre outros, sendo premiada em competições nas categorias tribal fusion, danças populares e dança oriental clássica. Professora desde 2014, na dança oriental tem formação profissional pelo Método Yasmin Meera© e fez aprimoramento técnico com Mahaila El Helwa (SP); já na Dança Tribal, tem formação pelo curso de Joline Andrade (BA) e aprimoramento em ATS® com Rebeca Piñeiro (SP). Também estudou com outros profissionais como Lulu Hartenbach, Ariellah Aflalo, Lady Fred, Jade El Jabel, Kahina, Nur, Tarik, Esmeralda, entre outros. Somado às danças orientais, pratica regularmente ballet clássico, zouk e jazz, e tem experiência em dança contemporânea e danças urbanas. É apaixonada por snujs, sendo autodidata nesse instrumento, e buscando sempre aprender mais sobre a música árabe. Já dançou profissionalmente no restaurante árabe Tio Ali e hoje recebe muitos convites para eventos. É organizadora do Mini Hafla e uma das organizadoras do Festival Temporada Tribal, o primeiro festival de dança tribal do estado, em parceria com Cintia Vilanova.

Aline Pires

Renan T. Cabral

Começou com aulas de violino aos 15 anos de idade, após ter contato pela primeira vez com a Orquestra Sinfônica de Santa Catarina (OSCA) na sua cidade natal, Santa Rosa do Sul – SC.

Admirado por música antiga e medieval, deu início a estudos com o professor e violinista Marciel Miguel, utilizando o método Essencial Elements seguindo com o método Suzuki nos anos seguintes. Aos 18 anos já tocava em eventos e casamentos da região sul do país.

É graduando em Música, modalidade Licenciatura pela Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC), onde tem trabalhado técnicas de música popular e improvisação com o violino e outros instrumentos. 

Tavares ou "O monge" (preferência de alguns) ainda faz parte das bandas como Novo Código Genético, Gnosis atuando como músico, e projetos envolvidos com teatro.

Júlia Darela é cantora e baixista, iniciou os estudos da voz formalmente em 2005, através do teatro musical. Atualmente cursa licenciatura em Música na UDESC, é soprano no projeto de extensão Madrigal UDESC e atua como professora de musicalização infantil e canto em diversos projetos, no teatro musical, oficinas de canto coletivo e aulas particulares.

Júlia Darela

Matheus Silveira

O professor de violão Matheus Silveira já possui 13 anos de estudos no instrumento. Fez sua carreira dentro da cidade de Florianópolis e região tocando os mais variados gêneros musicais desde o pagode até o heavy metal passando pela MPB, sertanejo, axé, pop, rock n' roll, entre outros. Aos 16 anos já lecionava música para crianças da periferia de Biguaçu onde se apaixonou pela arte de ser professor. Hoje, além de professor de música, músico profissional e artista,  ele cursa licenciatura em música na Universidade do Estado de Santa Catarina.

cazustudio@gmail.com

Telefone: (48) 3238-8888    Horário de atendimento: 10h - 22h

WhatsApp: (48) 99149-0195  Horário de atendimento: 09h-10h / 14h-15h / 22h-23h

R.  João de Deus Machado, 43 - Trindade, Florianópolis - SC, 88036-510, Brasil

  • YouTube - Círculo Branco